Ao Vivo
 
 

Setor 1

Outros Conteúdos

Catedral Sagrado Coração de Jesus

Catedral Sagrado Coração de Jesus

É a catedral católica de Porto Velho, no estado de Rondônia. Apesar de ter tido sua pedra fundamental lançada em 3 de maio de 1917 — presentes o Bispo do Amazonas, Dom João Irineu Joffily, e o Superintendente Municipal, Joaquim Augusto Tanajura — somente em 1927 a catedral teve sua construção definitiva efetivamente iniciada.   ​​HISTÓRIA​ Por fora, apresenta estilo romano, enquanto que por dentro, apresenta estilo gótico, por isso falamos que, em sua arquitetura, ela é uma mistura. Construída em local selecionado em 1917 pelo próprio arcebispo Joffily, sua localização corresponde hoje ao extremo leste do bairro Caiarí, em frente ao Paço Municipal de Porto Velho. A primeira missa realizada na Capela Provisória do Sagrado Coração de Jesus, foi celebrada pelo padre Antônio Carlos Peixoto, na manhã de 10 de novembro de 1926, tendo como ajudante o Prefeito Municipal, Prudêncio Bogéa de Sá. Em agosto de 1927, o padre Peixoto, então secretário geral da Prelazia de Porto Velho, delegou poderes a uma comissão formada pelos senhores Prudêncio Bogéa de Sá, como presidente, Francisco Alves Erse, engenheiro da EFMM, e José Centeno, comerciante, para administrar as obras de construção do novo templo. Já em 26 de setembro de 1927 foi iniciada a abertura das covas dos alicerces da nova catedral. Os trabalhos seguiram com dificuldades, embora contando com o auxílio direto da população e de autoridades laicas. Logo passaram a contar com o apoio incansável do padre João Nicoletti, cujo nome foi atribuído à praça do Paço Municipal, em frente à Catedral, e tem seu túmulo no interior do templo. As telhas para a cobertura chegaram em Porto Velho a 8 de janeiro de 1929, a bordo do navio Madeira-Mamoré. Foram transportadas desde o porto até o local da obra pelos marinheiros e pelos habitantes da cidade. As pinturas originais de cunho religioso no interior da Catedral, foram executadas pelo padre Ângelo Cerri e por Afonso Ligório. Os vitrais que a circundam, com temas da Via Sacra, foram todos doados pela comunidade portovelhense. Modernamente, a artista Rita Queiroz fez algumas restaurações e incluiu uma obra sua. Nesse período inicial, foi construída apenas a parte que hoje corresponde à nave central e o campanário. Somente a partir de 1945 foram realizadas as obras de expansão, surgindo o novo altar e suas laterais.   PÁROCO Pe. Antônio Fontinele de Melo (Diocesano) E-mail: pefontte@gmail.com ​ EXPEDIENTE NA SECRETARIA Segunda a Sexta-feira - 7h às 12h e das 14h às 18h Sábado das 8h às 12h e das 14h às 18h ​​ HORÁRIO DAS CELEBRAÇÕES Domingo às 6h30 / 8h / 18h e 20h Segunda, Terça, Quinta e Sexta-feiras às 18h15 Quarta-feira na Comunidade São Francisco às 18h30 Av. Pinheiro Machado esquina com Av. Campos Sales Primeira Terça-feira do mês Missa da Saúde às 18h30 Sábado às 19h   ADORAÇÃO AO SANTÍSSIMO Primeira Sexta-feira das 7h às 12h e das 14h às 18h Sábados das 14h às 18h   ​ENDEREÇO Praça Pe. João Nicoletti, 825 - Centro Caixa Postal 334 - 76800-970 76801-974 - Porto Velho-RO Fone: (69) 3224-5357 E-mail: scjsecretaria3@gmail.com Site: https://www.catedralscjpvh.com.br
Ver o Conteúdo
Paróquia Nossa Senhora de Fátima

Paróquia Nossa Senhora de Fátima

HISTÓRIA O bairro onde se localizou a primitiva capela chamava-se Areal (Areial) devido a uma mina de areia. Dom João muito concorreu para a compra do terreno e ajudou na construção. Com isso iam chegando outros moradores no bairro. Foram criadas as Associações dos Vicentinos e das Damas da Caridade. Todos colocaram seus nomes dentro de uma garrafa que foi enterrada no terreno da Igreja. Para a consolidação da comunidade muito se empenharam os primeiros catequistas que foram Dom João, Padres Fausto e Mário, salesianos, Irmãs Salesianas e diversos leigos/as. Logo funcionou um Oratório (1953) dinamizado inicialmente pelas Irmãs Deolinda, Odália e Rita Ramalho, salesianas. O Oratório visava atender, sobretudo, as crianças pobres. Para isso foi criada uma caixa comum para receber doações.  Em 1972 foram também animadoras catequistas as Irmãs Catequistas Franciscanas. A Igreja foi iniciada em 1952, onde no local existia, então, somente um grande areal. Chamava-se Capela do Areal. A paróquia foi criada em 1953. O atendimento nos primeiros anos foi feito por Dom João. O primeiro Pároco foi o salesiano Pe. Mario Castagna, em 1956. Construiu uma Igreja bem maior que passou a se chamar Santuário. Levantou outras capelas, como a do Triângulo. O trabalho dos leigos se realizava, sobretudo através dos Vicentinos e Damas da Caridade. Tanto o Pe. Mário como o Pe Chiquinho, estão sepultados nessa Igreja. A introdução da imagem do Sagrado Coração de Maria aconteceu no dia 1º de janeiro de 1954 com uma Romaria que saiu da Catedral, indo para sua nova sede no Areal . No dia 11 de novembro de 1956 D. João benzeu solenemente a Igreja do Areal. No dia 28 de agosto de 1960 “com toda a solenidade foi instalada a nova Paróquia no Bairro do Areal, tendo por padroeira o Imaculado Coração de Maria. O primeiro vigário foi o dinâmico Pe. Mario Castagna que em poucos meses de intenso apostolado, transformou aquele bairro. As nove horas houve missa solene cantada pelo Sr. Bispo Dom João Batista Costa. Durante a missa foi lida a ata de ereção da nova paróquia e foi oficialmente nomeado o novo vigário” . No bairro Triângulo está a comunidade Santa Terezinha. Também pertence à Paróquia Nossa Senhora de Fátima a Capela de Santo Antônio, situada na antiga vila de Santo Antônio. O local é o final da franca navegação pelo Rio Madeira e serviu de ponto de referência para a construção da EFMM. Depois de quatro anos de obras foi inaugurada em 1913. Hoje é o que resta da antiga vila de Santo Antônio, outrora município de Mato Grosso. Foi tombado como patrimônio do Estado de Rondônia em 1985. Os Párocos da Paróquia Nossa Senhora de Fátima: Pe. Mário Castagna – 1960 – 1983; Pe. Cânio Grimaldi – 1984 – 1991; Pe. João Sucarrats – 1992 – 1993; Pe. Tiago Corrado – 1993 – 1995; Pe. José Héder – 2001 – 2003; Pe. Felipe Bauziére – 2004 – 2008; Pe. José Maria – 2009 – 2010; Pe. Sinval Marques – 2011 – 2012; Pe. Reginaldo Barbosa – 2013 – 2015; Pe. Gilson Araújo Falcão – 2016.   PÁROCO Pe. Gilson Falcão Araújo (SDB) E-mail: gilson@isma.org.br   VIGÁRIOS PAROQUIAIS Pe. Gilberto Theodoro Cucas (SDB) Pe. Ângelo Manoel Martins Nieto (SDB)   SECRETÁRIA Sra. Marluce   EXPEDIENTE NA SECRETARIA Segunda à Sexta-feira - 8h às 12h e 14h às 20h Sábado - 8h às 12h   HORÁRIO DAS CELEBRAÇÕES Domingo às 6h30, 8h e 19h30 De Segunda à Sexta-feira às 19h Sábado às 18h30 Dia 13 de cada mês missa em honra de Nossa Senhora de Fátima às 6h, 8h30, 12h e 18h   ADORAÇÃO AO SANTÍSSIMO Sexta-feira o dia inteiro   ENDEREÇO Rua Cap. Esron de Menezes, 1648 - Areal 76804-292 - Porto Velho-RO Fone: (69) 3229-7704 E-mail: santuario_fatima@hotmail.com
Ver o Conteúdo
Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

HISTÓRIA Dom João e o vigário de Porto Velho, Pe. Humberto Filippelli, foram ao bairro Arigolândia para escolher um terreno para a construção da Capela de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro . A pedra fundamental da Igreja foi benta por Dom João no dia 18 de outubro de 1959. Na ocasião se lavrou uma ata. “Ata do lançamento da primeira pedra da Igreja de N. S. do Perpétuo Socorro no bairro da Arigolândia, na cidade de Porto Velho, capital do Território Federal de Rondônia. Aos 18 do mês de outubro de 1959 depois de Cristo (cita todas as autoridades eclesiásticas e civis) vigário da Catedral o P. Humberto Filippelli... Dom João benzeu a primeira pedra desta Igreja dedicada a N. S. do Perpétuo Socorro, na presença de uma grande multidão de fiéis. Para eterna memória do acontecimento foi lavrada a presente ata que. Depois de assinada será colocada debaixo da primeira pedra juntamente com as medalhas das associações paroquiais, das moedas correntes e de um exemplar do jornal ‘Alto Madeira’ e de um outro exemplar do jornal ‘Guaporé’. Porto Velho, 18/10/1959 . A construção do edifício é obra do Pe. Humberto Filippelli, então pároco da Catedral. Teve como inspiração as linhas arquitetônicas da Catedral de São Marcos de Veneza. Foram muitas as ofertas para se levantar o edifício . A primeira missa foi celebrada pelo Pe. Humberto Filippelli no dia 11 de agosto de 1963, seguida de uma concorrida procissão. “Foi nesta circunstância inaugurada a nova estrela tendo em três pontas três privilégios da Virgem Mãe de Deus e nas outras duas pontas a fachada da Catedral e do novo Santuário” . No centro a imagem de Maria. No dia 1º de janeiro de 1964, um triste fato se abateu sobre a comunidade do Perpétuo Socorro. “Pelas 18 horas caiu todo o telhado da Igreja. Uma viga, de péssima qualidade (...) quebrou arrastando todas as outras vigas. Houve um prejuízo de mais de um milhão de cruzeiros. Deus é bom Pai, não permitiu que o telhado caísse quando havia operários trabalhando e meninos brincando” . Mas, em dezembro o novo telhado já estava terminado. “Não houve nenhuma pequena desgraça. Esperamos que agora não caia mais o telhado que tanto prejuízo nos deu e atrasou por um ano a abertura ao culto” . A Igreja foi construída entre os anos de 1957 e 1967 para atender a uma iniciativa devocional que nasceu com uma missão redentorista em Porto Velho. A Igreja, de frente para o Rio Madeira, desfruta de esplêndida beleza natural e se apresenta como aquela que acolhe os ribeirinhos que chegam para a celebração. Dona Joelina Barros comenta: “Um dia fui visitar a Igreja de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro no Bairro Arigolândia. Chegando lá encontrei o pintor Afonso Ligório no alto da fachada da Igreja esculpindo a estátua de um anjo. Ao ver-me ele me chamou e eu subi até onde ele estava trabalhando. Aí me falou que o Pe. Humberto Filipelli mandou fazer três estátuas de anjos, sendo a Fé, a Esperança e a Caridade. Como o preço do material era muito caro, o Padre ficou com a Esperança. Para quem se interessar: Aquele anjo que tem na frente da Igreja da Nossa Senhora do Perpétuo Socorro é o anjo Esperança” . A Paróquia tem duas comunidades: São Pedro e Nossa Senhora Aparecida (Balsa). A catequese nessas capelas era muito dinamizada pelas catequistas: Ir. Terezinha Canapi, Isis Brasil e Lídia. Também funcionou um Oratório festivo, com uma catequese muito ativa.   PÁROCO Pe. José de Oliveira Filho (Diocesano) E-mail: pezezeconde@hotmail.com   SECRETÁRIA Catarina Batalha   EXPEDIENTE NA SECRETARIA Segunda a Sexta-feira - 8h às 12h e 14h às 18h Sábado - 8h às 12h   HORÁRIO DAS CELEBRAÇÕES Domingo às 8h e 19h30 Terça-feira às 19h30   ADORAÇÃO AO SANTÍSSIMO Primeira Sexta-feira do mês às 18h   ENDEREÇO Rua Major Amarante, 809 - Arigolândia 76801-180 - Porto Velho-RO Fone: (69) 3221-4303 E-mail: paroquiaperpertuosocorropvh@gmail.com
Ver o Conteúdo
Paróquia Nossa Senhora das Graças

Paróquia Nossa Senhora das Graças

HISTÓRIA No início era chamada Igreja do quilômetro um. Ali já exerciam a pastoral um grupo de abnegadas catequistas. A comunidade era muito dinâmica. Um grupo atendia com empenho os pobres com recursos que recebiam da Prelazia. São lembrados os nomes de Francisco Sales, Olívia, Nenê, Deolinda, Maria Guedes, Socorro, Delay, Renato, Maria José, Nazaré, Durvalina, Apolônia, Glória. Também atuaram as Irmãs Salesianas, sobretudo as Irmãs Inês e Carmem Madalena, com o oratório festivo incluindo catequese e atividades sociais . O lançamento da pedra fundamental foi realizado no dia 30 de novembro de 1947, presidido por Dom João Batista Costa. Situava-se no quilômetro um da rodovia Porto Velho-Vilhena. Um ano depois foi inaugurada e entregue ao público, apesar de faltar ainda alguns complementos. A imagem de Nossa Senhora foi trasladada da Catedral para o novo local. O santuário foi confiado à ação pastoral do Pe. Ângelo Cerri. As crônicas informam que no dia 06 de abril de 1948 “começam os trabalhos da nova capela dedicada a N. Sra. das Graças, no Km 1 da rodovia: se faz a medição da área (21 x 10 mts) e se iniciam as escavações”. “O novo governador prontificou-se a cooperar com Dom João Costa para que neste ano se pudesse inaugurar”. Os trabalhos iam de vento em popa, quando em agosto de 1948, desabou um terrível temporal deitando por terra uma parede lateral do Santuário, com mais cinco colunas e as arcadas sobre elas construídas . Mas, em novembro foi terminada a cobertura e feita a colocação das telhas. E no dia 30 de novembro de 1948, Dom João procedeu a bênção do Santuário. E em 08 de dezembro desse ano, apesar do mau tempo, muita gente acompanhou a procissão que entronizou no Santuário a imagem de N. Sra. das Graças e de Santa Bárbara, que foram colocadas nos altares provisórios do templo. A padroeira está ligada à devoção à Medalha Milagrosa. Em seis de fevereiro de 1949, as madrinhas  do Santuário Nossa Senhora das Graças lançaram a campanha para a colocação dos vitrais no Santuário. E no dia 18 de abril organizou-se uma colossal procissão para acompanhar a nova imagem de Nossa Senhora oferecida pelo senhor Zeno Ferreira. A bordo do Lobão e na presença do Sr. Governador e membros do governo, Dom João procedeu a bênção da imagem que foi levada em triunfo até o Santuário de N. Sra. das Graças, onde falou o Sr. Bispo. O Jornal local anunciava que os Guardas Territoriais estavam doando 3.500 tijolos para as obras; a chegada de três vitrais (faltando outros três) e que a imponente torre da Igreja já estava pronta. Logo em seguida foi colocada a Cruz no alto da torre, com muitos aplausos e fogos. Dom João benzeu a Capela no dia 18 de novembro de 1956. Em abril de 1961 se anunciava: “O Pe. Vitor Hugo está desenvolvendo grande atividade e preparando tudo para a criação da nova paróquia” . Assim, em 15 de agosto de 1963, “o Pe. Humberto Filippelli, Vigário da Catedral, leu o decreto de ereção da Igreja de Nossa Senhora das Graças à Paróquia, sendo nomeado para a dignidade de Vigário, o Remo. Pe. Bernardo Strik” . No ano de 1975 a paróquia passou a ser dirigida pelos Padres Combonianos. Ao mesmo tempo em que na periferia apareciam novos bairros eles iam abrindo capelas. Deram um grande impulso pastoral decorrente do novo modelo conciliar. Construíram também uma nova igreja, mais funcional.   PÁROCO Pe. Enrique Ibarra Hernandez (Comboniano) E-mail: enriqueibarrah@gmail.com   VIGÁRIOS PAROQUIAIS Pe. Orlando Rene Vera Coelho Pe. Jorge Alberto Benavides Orjuela Pe. Mansueto Del Maso   SECRETÁRIA Silvia de Souza   EXPEDIENTE NA SECRETARIA Segunda à Sábado - 8h às 12h   HORÁRIO DAS CELEBRAÇÕES Domingo às 8h e 18h30 Terça e Sexta-feira às 19h30 Quarta e Quinta-feira às 06h30 Todos os dias 27 de cada mês (comemoração a Nossa Senhora das Graças) De Segunda a Sexta-feira às 19h Aos Sábado e Domingo às 18h   ENDEREÇO Av. Nações Unidas, 605 - N. Sra. das Graças Caixa Postal, 121 - 78900-970 76804-175 - Porto Velho-RO Fone: (69) 3221-3505 E-mail: igrejansg@hotmail.com
Ver o Conteúdo
Paróquia Nossa Senhora do Rosário

Paróquia Nossa Senhora do Rosário

HISTÓRIA Em 1956, Dom João Batista Costa, pensou em construir uma igreja e um Centro Social na direção norte da cidade. Para isto, solicitou a doação da quadra entre as ruas: José Bonifácio, Tabajara, Jamary e Ariquemes (hoje José Camacho), no Bairro Olaria. A primeira Missa foi celebrada “sob o sol”. No mesmo ano foram construídos o Centro Social, uma Capela e uma pequena casa residencial. A Capela recebeu o nome de Nossa Senhora do Rosário. O Centro Social visava atender meninos pobres que não tinham onde se divertir e recebia a colaboração das irmãs salesianas. Em pouco tempo, as atividades do oratório desenvolveram-se admiravelmente e o Centro Social de Nossa Senhora do Rosário se tornou uma grande atração para a Comunidade oferecendo vários cursos profissionalizantes e recreação. O primeiro padre a trabalhar na Comunidade foi o Pe. Romano Klemkowski, SDB. Em 1976, a Comunidade Nossa Senhora do Rosário foi elevada à Paróquia com o seguinte Decreto: “Aos 25 do mês de dezembro de 1976, Natal do Senhor, depois de ouvido nosso Conselho Presbiteral, houvemos por bem erigir a Paróquia de Nossa Senhora do Rosário, nesta cidade de Porto Velho, e confiá-la ao Rvmo. Pe. Zenildo Gomes da Silva. A sobredita Paróquia terá os seguintes limites: norte – margem direita do Rio Madeira; sul – Rua Abunã; leste – Av. Lauro Sodré; e oeste – Av. Farquar. Que o presente documento seja transcrito para o Livro de Tombo da Paróquia, ora erecta e lido na Missa principal de domingo. In Fide Veritatis – Porto Velho, 25 de dezembro de 1976 – Dom João Batista Costa” Em 1978, a nova Paróquia foi assumida pelo Pe. João Fagan, muitíssimo querido pela Comunidade. O mesmo fez com que o Centro Social ganhasse vida. Ele permaneceu até 1983, período em que chegaram ao Bairro São Sebastião as Irmãzinhas da Imaculada. Com o trabalho missionário destas religiosas surgiu a Comunidade São Sebastião (1982), no bairro de mesmo nome, e a Comunidade Nossa Senhora Auxiliadora (1983), no bairro São Sebastião II. No Bairro Nacional, surgiu a Comunidade São Paulo Apóstolo (1987). De 1984 até 1993 atuaram na Paróquia os seguintes padres: Pe. Raimundo de Araújo Sila, Frei Jeremias di Nardo, Capelão Militar, Pe. José Gonçalves, Pe. Carlos Mayr e Pe. Otávio Rodrigues da Silva. A partir de janeiro de 1994 o seminarista Gilvane Mendes assume a Paróquia. Ele foi ordenado sacerdote em dezembro do mesmo ano. Tendo ido para Campo Largo (PR) para visitar seus parentes, acabou morrendo num trágico acidente automobilístico. De 1995 até 2005, atuaram na Paróquia os seguintes padres: Pe. Roque Benatti, Pe. Genival Viana Porto, Pe. Francisco Leite Morais e Pe. Lúcio Batista de Paula. Em 2005, no Bairro Nacional, surgiu a Comunidade Santo Expedito. Em 2006, a Paróquia Nossa Senhora do Rosário foi assumida pelo Pe. Geraldo Siqueira de Almeida. Desde então, a Paróquia cresceu e foi dinamizada com a criação de novas Comunidades e Missões Populares, contribuindo para a formação de discípulos missionários de Jesus Cristo. Com o Pe. Geraldo foram criadas as Comunidades: Nossa Senhora Rainha (2007), São Benedito (2008), Divino Espírito Santo (2008), Santa Maria dos Pobres (2008) e Santa Luzia (2009). No período em que a Paróquia foi guiada pelo Pe. Geraldo chegaram as Irmãs do Sagrado Coração do Verbo Encarnado, que residem no Bairro Nacional, e as Irmãs Missionárias de Jesus Crucificado, que residem no Bairro São Sebastião II. Também passou a fazer parte da vida da Paróquia o Pe. Rui Moreira Feitosa, que colabora com as Celebrações de Missas e Palestras. Em 2009, a Comunidade São Francisco de Assis, situada na Estrada do Belmonte, na margem direita do Rio Madeira, passou a fazer parte da Paróquia Nossa Senhora do Rosário. No ano de 2014, com a histórica enchente do Rio Madeira, ela terminou sua caminhada, pois os seus membros tiveram de sair de suas casas, e hoje participam em outras Comunidades da Paróquia.   PÁROCO Pe. Marco Antônio Soares E-mail: pemarcoantonio@yahoo.com.br     SECRETÁRIA Marluze Ferreira da Silva   EXPEDIENTE NA SECRETARIA Segunda-feira - 14h às 18h Terça a Sábado - 8h às 12h e das 14h às 18h   HORÁRIO DAS CELEBRAÇÕES Sábado às 18h Domingo às 8h Quinta-feira às 18h30 Primeira Sexta-feira do mês Missa em honra ao Sagrado Coração de Jesus às 18h   ADORAÇÃO AO SANTÍSSIMO Quinta-feira às 17h   ENDEREÇO Rua José Bonifácio, 1566 - Olaria 76801-318 - Porto Velho-RO Fone: (69) 3221-2428 E-mail: rosario.paroquia@hotmail.com
Ver o Conteúdo