Ao Vivo
 
 

Setor 4

Outros Conteúdos

Área Missionária - São João Batista

Área Missionária - São João Batista

HISTÓRIA A Comunidade São João Batista foi criada em 1969. Está localizada no Bairro Tucumanzal, assim chamado porque antes nesse local havia muitas árvores de Tucumanzeiro. Os primeiros moradores vieram de Comunidades Ribeirinhas e de outros Estados, principalmente do Acre e do Amazonas. Padre Humberto, na época Pároco da Paróquia Nossa Senhora das Graças, logo se preocupou com a Formação Religiosa dos moradores e construiu no Bairro uma Igrejinha em Madeira que ficava no início da Rua Brasília com a Rua Bahia (conhecida estrategicamente como Igrejinha Redonda). As Irmãs Salesianas Carmem, Lúcia, Vera e outras, também foram tocadas por Deus e logo se responsabilizaram pela Catequese, ajudando também na prática do Esporte e em outras atividades de caráter social e religioso, na formação de grupos de Senhores/as que existiam/existem e na Procissão do Padroeiro São João Batista, realizada todos os anos. Os primeiros Catequistas foram os alunos e amigos desses religiosos. A Legião Brasileira de Assistência Social (L.B.A.), não deixou de dar a sua participação, favorecendo alguns Cursos. Outros Padres também ajudaram muito. O Padre Bento, com sua lambretinha, gastou muita gasolina para conseguir energia elétrica para o Bairro. Foi ele quem construiu 03 (três) casinhas em madeira que serviam de Escola e Centro Comunitário. Não seria justo deixar de lembrar nominalmente os Padres: Valter, Júlio, André e Paulo (este vinha a pé, da Catedral até aqui para celebrar na Comunidade São João Batista). Por ser ali um local de risco, pois ônibus e outros carros de grande porte raspavam o telhado da lateral da Igreja, o Prefeito Francisco Paiva pelos anos de 1982, construiu outra Igreja na Rua Goiás, no mesmo Bairro Tucumanzal. Esta área foi objeto de permuta com outra área onde estava edificada aquela Igreja, localizada na Rua Brasília pois foi necessária sua remoção, para atender trabalhos de execução do sistema viário do Município de Porto Velho . Aos 25 de Dezembro de 1980, Natal do Senhor, depois de ouvido o Conselho Presbiteral, Dom João Batista Costa – Bispo Diocesano, criou a Paróquia de São José, através de Decreto, em Porto Velho – T.F. de Rondônia, elevando o Curato de São José do Bairro Nova Floresta à Paróquia. Assumiu os cuidados o Revmo. Sr. Pe. André Gil, Missionário Polonês, Salesiano de Dom Bosco, que aqui chegou no mês de fevereiro de 1980. Em 20 de Julho de 1991, com Decreto da Supressão de Paróquias, depois de ouvido o Conselho Presbiteral, Dom José Martins da Silva, Arcebispo de Porto Velho, suprimiu as seguintes Paróquias em nossa Arquidiocese: Paróquia de Todos os Santos; Paróquia do Divino Espírito Santo, Paróquia São João Batista, do Bairro Tucumanzal, Paróquia das Comunidades de Emaús na BR 364, todas criadas em 25 de dezembro de 1976, no Natal do Senhor Em 20 de Dezembro de 1993, Dom José Martins da Silva, Arcebispo Metropolitano de Porto Velho, pelo instrumento de Provisão de Pároco nomeou o Revmo. Padre José Warcken, Pároco da Paróquia São José, no Bairro Nova Floresta, em Porto Velho, por tempo indeterminado, transmitindo-lhe todos os direitos e o encarregando de todos os deveres inerentes ao ofício, segundo as Normas do Direito Canônico. A comunidade Bom Pastor ficou pertencendo à Paróquia São José. Em 11 de Junho de 1997, Dom José Martins da Silva, SDN, Arcebispo de Porto Velho – RO, após ouvir o Conselho Presbiteral, estabeleceu as seguintes Normatizações, a respeito da Comunidade São João Batista do Bairro Tucumanzal e Bom Pastor “1ª – A Comunidade São João Batista – Tucumanzal, pertencente à Paróquia Nossa Senhora das Graças, fica, temporariamente, sob a Administração do Padre Zenildo Gomes da Silva”, bem como, a Comunidade Bom Pastor, pertencente à Paróquia São José . “2ª – Esta Autonomia relativa perdura enquanto o Padre Zenildo Gomes da Silva puder acompanha-la/s, tendo o mesmo Delegação para Administrar e Celebrar os devidos Sacramentos.” “3ª – No momento em que o Padre Zenildo Gomes da Silva não mais puder exercer esta função de Administração, a Comunidade São João Batista retorna aos cuidados da Paróquia Nossa Senhora das Graças, em Porto Velho”; e, a Comunidade Bom Pastor retorna aos cuidados da Paróquia São José Operário. Criou-se em 30 de Maio de 2006, o Centro Social São João Batista, como filial da Arquidiocese de Porto Velho, sob CNPJ 05.902.606/0043-95, sendo a contabilidade executada pelo Conselho de Administração e Finanças do Centro Social São João Batista e pelo Conselho Pastoral da Área Missionária São João Batista e Bom Pastor, em consonância com a Arquidiocese de Porto Velho (Setor Financeiro e Pessoal) e Coordenação Pastoral Arquidiocesana, a qual presta-se as contas mensalmente para as devidas providências de registros financeiros/fiscais e Pastoral. Atualmente, a Comunidade Bom Pastor, se recupera do incêndio – culposo (consumado), ocorrido no dia 15 de janeiro de 2013 .  Este processo de reconstrução do Templo Religioso, articula forças Comunitárias de São João Batista e Bom Pastor. Um fato notável, que marcou a Comunidade Bom Pastor e São João Batista, foi ter conseguido a âmbula de Madeira e Vidro com o Santíssimo Sacramento intacta, somente com a tampa de madeira, o corporal e as hóstias escurecido. Esse fato, está sendo considerado, como motivador de uma maior unidade na caminhada de organização da ação missionária/comunitárias em prol da construção do Reino de Deus, aqui e agora; e, procurando a conversão pessoal/missionária/comunitária, tornando-se autênticos discípulos/missionário/a de Cristo, da Trindade e de Maria, no cumprimento da vontade do Pai em nossa Área Missionária. Num Encontro ocorrido na Comunidade de São João Batista, no dia 28 de setembro de 2014, com a presença do Arcebispo de Porto Velho-RO, Dom Esmeraldo Barreto de Farias, a participação do Pe. Zenildo Gomes da Silva e de mais de vinte pessoas representantes de Pastorais, Movimentos e Equipes das duas Comunidades (São João Batista e Bom Pastor); após agradecer a Deus pela presença do Pe. Zenildo Gomes da Silva por quase vinte e sete anos, sendo quase 17 anos como administrador, no período de 11 de junho de 1997 à 22 de fevereiro de 2014, nas Comunidades São João Batista e Bom Pastor, presença generosa e dedicada, que muito ajudou para que essas Comunidades pudessem se organizar e se fortalecer através do trabalho de evangelização. Mas, considerando o bem do Povo de Deus presente nessa Área Missionária; a saúde fragilizada do Pe. Zenildo; a conversa amigável em que ele mesmo reconheceu já não ter condições para estar à frente da Coordenação Pastoral das referidas Comunidades; Dom Esmeraldo Barreto de Farias, designou o Pe. Gabriel dos Santos Filho, como Vigário para essa Área Missionária que compreende as Comunidades São João Batista e Bom Pastor, através da Provisão de Vigário para a Área Missionária São João Batista, assinada em 22 de fevereiro de 2014, Festa da Cátedra de São Pedro. Foi lida na Celebração da Comunidade São João Batista no dia, e, posteriormente, na Comunidade Bom Pastor, às respectivas Coordenações dos Grupos, Serviços, Pastorais e Movimentos, para o crescimento da fé do Povo de Deus. Desejou ao Pe. Gabriel que, com a luz e a força do Espírito Santo, possa dinamizar a Evangelização nas citadas Comunidades, acompanhando as lideranças que se dispõem a esse trabalho, suscitando e formando novas a fim de que, em consonância com o Plano de Pastoral da nossa Arquidiocese, possa contribuir para que a pessoa e a missão de Jesus Cristo sejam o centro desse processo e a Pastoral de Conjunto encontre aqui também um sinal bem concreto. Como nos pede o Papa Francisco: “Não deixemos que nos roubem a alegria da Evangelização, a esperança, a comunidade, o Evangelho, o ideal do amor fraterno, a força missionária”.   PÁROCO Pe. Edilson Gabriel Nunes (Diocesano)   EXPEDIENTE NA SECRETARIA Segunda à Sexta-feira - 8h às 12h e 14h às 18h Sábado das 8h às 12h   HORÁRIO DAS CELEBRAÇÕES Domingo às 18h45 Sexta-feira às 19h30 Último domingo do mês Celebração da Palavra às 8h   ADORAÇÃO AO SANTÍSSIMO Primeira Sexta-feira do mês às 19h30   ENDEREÇO Rua Goiás, 500 - Tucumanzal 76804-496 - Porto Velho-RO Fone: (69) 3229-7008 E-mail: pcssjbtucumanzal.pv@hotmail.com
Ver o Conteúdo
Paróquia São José Operário

Paróquia São José Operário

HISTÓRIA Em 1980 o padre André Gil foi nomeado cooperador na paróquia de Nossa Senhora de Fátima e iniciou o atendimento religioso na região do Bairro Floresta na Capela de São José. O começo foi nas casas, mas já em setembro daquele ano, estava coberta uma capela de madeira. D. João Batista Costa, o padre Mário Castagna e o próprio padre André Gil deram contribuição financeira para conseguir o terreno e custear a construção. O decreto da criação de Paróquia de São José diz: “Aos 25 de dezembro de 1980, Natal do Senhor, depois de ouvido nosso Conselho Presbiteral houvemos por bem elevar o Curato de São José do Bairro de Nova Floresta, nesta cidade de Porto Velho, à dignidade de Paróquia e confiá-la aos cuidados do Revmo. Sr. Pe. André Gil, missionário polonês, salesiano de Dom Bosco, que aqui chegou no mês de fevereiro próximo passado”. Por um bom tempo, funcionou uma escola junto à Igreja São José. Em 1989 foi o padre Albano Trinks, foi nomeado pároco, permanecendo até 1991. Durante estes anos iniciou-se a construção do Salão Paroquial. Entre 1991 e 1992 atuou como pároco o padre Daniel Bertuzzi que foi sucedido pelo padre José Warcken. Em 1993 iniciou-se a construção de uma nova igreja em alvenaria, inaugurada em 15 de agosto daquele ano. Em 1995 iniciava a comunidade Nossa Senhora do Carmo no bairro Belvederes. Em 1998 foi inaugurada a Igreja de São Geraldo Magela para melhor atendimento do povo. De outubro de 1999 até janeiro de 2001, a paróquia foi atendida pelo padre Juarez Bavaresco. De 2001 até 2004 coube ao padre João Luís Asahi a responsabilidade de atender São José Operário. Frei Claudio Avallone desempenhou sua missão de 2004 até 2009, quando chegou o padre Jaime Luiz Gusberti que, desde 2013, conta com a colaboração do padre João Roberto Masiero. Hoje, a paróquia atende, além das comunidades São Geraldo Magela e Nossa Senhora do Carmo, também as de Santa Paulina (Bairro Bom Sucesso), São Peregrino de Forli, São Francisco de Assis (Vila Princesa), Santa Inês, São Domingos Sávio e N. S. Aparecida (Vila de Teotônio) e Santa Terezinha. Desde setembro de 2015 estão acontecendo celebrações no Bairro Nova Floresta onde está nascendo uma nova comunidade. No dia 09 de fevereiro de 2012 chegaram as Irmãzinhas da Imaculada Conceição de Santa Paulina que passaram a colaborar na ação evangelizadora. Um fato que marcou a Paróquia São José Operário foram as Santas Missões Populares realizadas no mês de outubro de 2012. Realizamos antes, durante e após as missões cinco grandes celebrações para aprofundar os temas da missão. Foi momento que marcou profundamente toda a comunidade paroquial pois, como nos diz Dom Luciano Mendes de Almeida: “onde há povo, há missão. Onde há Missão, há mil razões para ser feliz”. Outro fato é o Projeto de Inclusão Social “Aprender a Ser’, na comunidade São Francisco de Assis na Vila Princesa. Ele tem como objetivo: Contribuir com a comunidade para que possa dar passos na integração de crianças, jovens e adultos, fortalecendo a esperança de que são capazes de lutar por melhor qualidade de vida com vistas a tornar a Vila Princesa um local onde se vive feliz primando pela inclusão social e o cuidado com o ambiente. Três passos vão nos acompanhar no Projeto: “Aprender a Ser”: Missão: Acolher e promover a vida de crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres do jeito de Jesus de Nazaré. Visão: Ser um agente de transformação social promovendo o desenvolvimento integral do ser humano, buscando parcerias e envolvendo a família, a escola, a comunidade, o poder público, faculdades, buscando a excelência do cuidado à vida. Valores: Cuidar do ambiente, das pessoas, integralidade, fraternidade, justiça, transparência, qualidade, solidariedade, protagonismo e paz.   PÁROCO Pe. João Roberto Masiero (Diocesano) E-mail: jomasiero89@gmail.com   VIGÁRIO PAROQUIAL Pe. Sergio Tonet (Diocesano)   SECRETÁRIA Luzanilda Rodrigues de Carvalho   EXPEDIENTE NA SECRETARIA Segunda-feira expediente interno Terça à Sexta-feira - 8h às 12h e 14h às 18h Sábado - 8h às 12h   HORÁRIO DAS CELEBRAÇÕES Domingo às 7h30 e 18h30 Quarta-feira às 19h30 Sexta-feira às 19h30 Dia 19 de cada mês Missa em honra a São José Operário com transmissão pelo Amazonsat às 12h   ENDEREÇO Av. Campos Sales, 4777 - Conceição 76808-433 - Porto Velho-RO Fone/Fax: (69) 3210-3938 E-mail: s.joseoperario@gmail.com  
Ver o Conteúdo
Paróquia Nossa Senhora de Nazaré

Paróquia Nossa Senhora de Nazaré

HISTÓRIA A Paróquia Nossa Senhora de Nazaré foi criada em 31 de julho de 1991 pelo Arcebispo de Porto Velho Dom José Martins, nas dependências da Escola Maria de Nazaré, tendo à frente o Irmão Marista Pedrinho Tambosi. Contudo, durante 20 anos (10 anos nas dependências da escola) foi atendida como uma capela pelos padres Combonianos, que residiam na Paróquia Nossa Senhora das Graças. Somente em 21 de fevereiro de 2010 foi instalada a Paróquia Nossa Senhora de Nazaré, quando o Dom Dom Moacyr Grechi encontrou os padres Dehonianos para atender a mesma. O primeiro Párocos foi o Pe. Leonardo Hellmann (2010-2013). Veio em seguida o Pe. Alceu Luiz Weber (2014...). Foram Vigários paroquiais: Pe. Renato Rohr (2010-2012); P. Francisco José Alves (2014-2015); Pe. Odilo Antônio Leviski (2016...). A Paróquia conta com a presença em seu território do Seminário São João XXIII, os Irmãos Maristas, Irmãs Calvarianas e Irmãs da Filhas da Santa Cruz. A Paróquia é constituída por 8 comunidades: matriz Nossa Senhora de Nazaré, Sagrada Família, Nossa Senhora Auxiliadora, Nossa Senhora Aparecida, Santa Clara, Menino Jesus de Praga, São Marcelino Champagnat e Nossa Senhora da Conceição.   PÁROCO Pe. Alceu Weber (SCJ) E-mail: alceuweber@gmail.com   VIGÁRIO PAROQUIAL Pe. José Francisco Alves (SCJ)   EXPEDIENTE NA SECRETARIA Segunda à Sexta-feira - 8h às 12h e 14h às 18h Sábado - 8h às 12h   HORÁRIO DAS CELEBRAÇÕES Domingo: às 8h e 19h30 Quarta-feira: às 17h Quinta-feira: às 19h30 Sexta-feira: às 19h Sábado: às 19h30   ADORAÇÃO AO SANTÍSSIMO Primeira Sexta-feira do mÊs às 6h30   ENDEREÇO Rua Pau Ferro, 640 - Jardim Eldorado 76811-666 - Porto Velho-RO   ENDEREÇO PARA CORRESPONDÊNCIA Secretaria e Casa Paroquial Rua Aquariquara, 641 - Jardim Eldorado 76811-884 - Porto Velho-RO Fone: (69) 3227-0163 E-mail: paroquianazarepvh@gmail.com
Ver o Conteúdo
Paróquia Santa Luzia

Paróquia Santa Luzia

HISTÓRIA Na década de 70 houve uma migração muito grande para o Território de Rondônia e diferentes projetos de assentamento foram organizados, alguns com mais de 10 mil famílias. Com o término do asfaltamento da BR 364 (Cuiabá-Porto Velho), em 1984, o fluxo maior dos migrantes era para a capital, Porto Velho, especialmente aqueles que não conseguiram seu lote nos assentamentos no interior. Em Porto Velho tiveram mais uma decepção, pois muitos não encontraram moradia nem emprego. Estas famílias foram ocupando terras devolutas ao redor da capital, formando assim “espontaneamente” muitos bairros novos. Como geralmente acontece, apareceram os pretensos donos destas terras: pessoas da classe política e de imobiliária. Houve muita luta, destruição de barracos, despejos; mas também muita resistência, fé inabalável e união das famílias e assim, aos poucos foram se instalando. Com o Bairro Eldorado a história não foi diferente. Centenas de famílias ocuparam a área e levantaram seus barracos. No dia 18 de maio de 1984 apareceram os pretensos donos com tratores e mais de 400 homens da polícia e começaram a destruir tudo.  A Polícia Civil, vários funcionários da prefeitura, com maquinários e tratores, iam demolindo as casas improvisadas daquelas famílias. Atearam fogo em tudo, a polícia dava ordem para desocuparem os barracos em 05(cinco) minutos. Se as pessoas não saíssem, por bem saiam por mal, eles derrubavam as laterais e tocavam fogo, eles recuaram, mas apesar de tanto sofrimento, choro, perdas e danos, eles resistiram. Houve um pânico geral e muita tristeza, mas como a Igreja é conscientizada a estar ao lado dos menos favorecidos, Dom José, Bispo da época, se fez presente com outras pessoas da Diocese, com palavras de carinho e conforto, ajudou a resolver a situação. A área foi indenizada pela prefeitura e, ainda em maio, foram assentadas mais de 2.000 famílias. As pessoas se reuniam na casa da dona Tarcila para rezar e assim fortificar-se na fé, sempre assessoradas pelas Irmãs Carlistas, Irmãs Catequistas Franciscanas e pelos Irmãos Maristas que organizaram diversas campanhas para aliviar o sofrimento dessas famílias. Quase no fim do ano os próprios moradores fizeram uma barraca coberta de palha e os bancos eram improvisados com pernas mancas. Pelo que sabemos foi a única que não foi queimada, talvez porque tinham sido os próprios moradores que a fizeram, porque das outras comunidades todas as barracas improvisadas para a igreja foram queimadas.  O povo escolheu como padroeira Santa Luzia. Diante de tantas urgências o Pe. Franco formou uma equipe de 10 pessoas para os diversos serviços e pastorais: três irmãs Carlistas uma irmã Catequista Franciscana, três Postulantes dos irmãos Maristas e dois seminaristas. Deu-se início das pastorais: Liturgia, Catequese e Pastoral da Juventude. Também os leigos foram sendo formados para os diversos ministérios como o da Comunhão Eucarística. Uma iniciativa que deu bons frutos foi a catequese de quarteirão coordenada pela Ir. Zelir. Surgiram depois a pastoral do batismo, os grupos de reflexão, pastoral do dizimo, pastoral da criança, da saúde, (da família que hoje não funciona). Foram organizados os Conselhos paroquiais e cursos de formação. Multiplicaram-se as visitas aos enfermos, às famílias, aos sofredores e necessitados. O local passou a se chamar Caladinho . Em novembro de 1984 o Pe. Primo Silvestri, Comboniano, da Paróquia Nossa Senhora das Graças, celebrou a 1ª missa neste bairro Eldorado. Foi debaixo de uma cobertura de palha que o povo tinha feito. Nesse mesmo ano de 1985 foi criada a Paróquia, sendo o primeiro pároco o Pe. Franco Albanesi. No mesmo local da celebração Eucarística foi erguida a capela. As obras foram surgindo com recursos que Albanesi conseguia de sua Diocese italiana de origem. Logo se estabeleceram também as Irmãs Carlistas. Dentre as primeiras catequistas estão: Luzia Monteiro, Antônia, Janete, Rosina e José Araújo. A paróquia Santa Luzia foi fundada por Dom José Martins no dia 15 de setembro de 1985. Em 1989 os Padres Jesuítas assumiram a Paróquia. Desde então foram párocos: José Otacílio Leite (dois períodos), Inácio Valdir Schaefer (dois períodos), Idinei Augusto Zen, Ivo Honório Mueller e Roque Pedro Follmann. A Paróquia é formada por oito comunidades: Santa Luzia, Nossa Senhora da Conceição, Santo Antônio, Santa Rita de Cássia. Nessas comunidades a primeira missa foi celebrada pelo Pe. Franco em 1985. Onde não havia ainda capela, a celebração era na casa de uma família. Nossa Senhora dos Migrantes: a capela foi construída em 1994; São Francisco de Assis a capela foi iniciada em 1999; Nossa Senhora Aparecida a capela foi iniciada em 1996; Santa Terezinha a comunidade surgiu em 1999. No dia 05 de Agosto de 1989 realizou-se a primeira missa campal nos conjuntos Guaporé e Mamoré (e hoje também Rio Candeias), após uma equipe da paróquia ter realizado uma visita pastoral na maioria das casas, levando folheto explicativo e incentivado a participação, mas apesar de tudo a participação do povo foi pequena. No dia 21 de junho de 1991, conseguimos um terreno que foi destinado à construção de uma Igreja no Cohab. Cerca de 60 pessoas estavam presentes e já escolheram o nome da padroeira, Nossa Sra. dos Migrantes, a celebração daquele dia foi presidida por D. José. Em junho de 1994, foi iniciada a construção da igreja, bem como as dependências, 2 salas, para as celebrações, catequese, grupo de jovens e a liturgia .   PÁROCO Pe. Ivo Müller (Jesuíta)   VIGÁRIO PAROQUIAL Pe. Levino Antônio Camilo (Jesuíta)   EXPEDIENTE NA SECRETARIA Segunda a Sexta-feira - 8h30 às 12h e 14h às 19h Sábado – 8h30 às 12h   HORÁRIO DAS CELEBRAÇÕES Domingo às 8h e 19h Quarta-feira às 19h30 Quinta-feira às 6h20 (Capelinha na Rua Angico, antiga secretaria) Primeira Sexta-feira do mês às 19h30   ENDEREÇO Rua Algodoeiro, esquina c/ Rua Tancredo Neves - Caladinho 76808-114 - Porto Velho-RO   ENDEREÇO PARA CORRESPONDÊNCIA Secretaria Rua Angico, 4721 - Caladinho Caixa Postal, 1874 76808-104 - Porto Velho-RO Fone: (69) 3210-0741 / 3213-4174 E-mail: paroquiasantaluzia1984@gmail.com   CASA PAROQUIAL Rua Angico, 4730 - Caladinho 76808-104 - Porto Velho-RO
Ver o Conteúdo