No dia 05 de abril aconteceu na assembleia legislativa do Estado de Rondônia, audiência pública pra discutir o tema da campanha da fraternidade.

A audiência presidida pelo deputado estadual Adelino Follador, teve a participação do desembargador Walter Waltemberg, presidente do Tribunal de Justiça de Rondônia, a delegada da mulher em Porto Velho, Janaina Xander Wessel, a desembargadora Zelite Carneiro, o coordenador arquidiocesano de leigos, Carlos Oliveira, a representante do Conselho Regional de Psicologia de Rondonia, e o arcebispo de Porto Velho dom Roque Paloschi. Na plenária, estavam presentes alguns coordenadores e representantes de pastorais e de movimentos, religiosos, religiosas e padres, estavam presentes na plenária também os servidores da educação em greve que ocupavam a assembleia em protesto da greve da educação.

O deputado Adelino Follador, ao iniciar a sessão agradeceu a presença de todos por estarem presentes para discutir um assunto importante como a violência. “Foi uma audiência aprovada por unanimidade. Para nós é um prazer discutir um tema tão importante e uma campanha que ajuda tanta gente”. Também abriu espaço para a palavra da presidente do Sintero, Lionilda Simão que disse a educação ser um dos principais meios para combater a violência, por isso precisam do apoio de todos para lutarem por seus direitos.

O arcebispo Roque Paloschi, em sua palavra diz que nos noticiários existe mais violência que verdadeiras noticias, mas que não devemos desanimar em busca de acreditar na cultura de paz. E completou: “superar a violência, é superar tudo que vai contra a vida e a dignidade humana”.O desembargador Walter Waltemberg, estendeu seus cumprimentos a mesa e ressaltou a importância do poder judiciário na defesa dos direitos humanos, enfatizando a questão carcerária do Estado. “O poder judiciário precisa olhar para o individuo, para o ser humano, não apenas como um número de processo. É necessário assegurar respeito aos direitos humanos.”

Carlos Oliveira, disse que o cristão tem que está atuando nos espaços sociais com uma consciência coletiva de que somos todos e iguais e irmãos, só assim será possível a superação da violência, através do respeito mútuo.

Além da discussão sobre o tema, a audiência pública trouxe como proposta e foi aprovada a criação do Fórum Permanente pela Paz, que será articulado posteriormente.

A audiência encerrou com o canto da oração de São Francisco.

A equipe arquidiocesana de pastoral agradece a todos que participaram.

Confira aqui todas as fotos.

 

Fonte: PASCOM Arquidiocese de Porto Velho