Lauriceia Ribeiro de Barros é cuidadora de crianças especiais, ela conta a experiência de presenciar um suposto milagre em sua vida, após um incêndio que devastou sua casa no dia 12 de julho deste ano. Um dos únicos objetos que não foi violado durante o acidente, uma Bíblia que estava dentro de um armário.

Emocionada com toda a história que a deixou abalada, Lau relata como superou a perda de seus bens materiais na fatalidade e a conquista da esperança de reconstruir uma nova chance para ser feliz. “O que me vem à cabeça, primeiramente é a nossa salvação diante desse incêndio. Graças a Deus ninguém se queimou ou se feriu, é uma prova que Deus está vivo”, diz Lauriceia.

O incêndio ocorrido em julho deste ano queimou a residência localizada na zona leste de Porto Velho. Segundo relatos da moradora, o incêndio teria começado após um curto circuito na parte da instalação elétrica de um dos quartos da família. Com a ação, rapidamente, o fogo se espalhou pela cama, janelas e afetando outros cômodos da residência. Durante o incidente, os moradores que residem no local não estavam.

Alguns móveis não ficaram totalmente destruídos, o que facilitou a perícia avaliar o fato. O sofá, uma mesa, os pratos e parte de um armário foram peças que não foram consumidas pelo fogo. Assim, em um momento curioso ao abrir os destroços do armário que ficava na sala, Lauriceia encontrou a Bíblia de Jerusalém que pertence a sua irmã Jaqueline, sem obter alguma alteração pelo incêndio ocorrido.

Ao se impressionar com a descoberta, a cuidadora tomou como experiência de um possível milagre que Deus estaria manifestando de modo que pudesse reconstruir uma nova vida, a partir daquele momento. Além de ter em mãos o Livro Sagrado, ao abri-lo, havia uma pintura colorida feita pela sua neta que tinha escrita a seguinte frase: “Iluminar”.

“A Bíblia tava na gaveta, o impressionante é porque havia outros materiais, como documentos de meus irmãos e da milha filha”, conta a mulher sobre o Livro Sagrado quando encontrou intacto. Os pertences pessoais da família que estavam guardados junto a Bíblia queimaram todos, de acordo com a cuidadora de crianças especiais.

Após o acidente, apoio e colaboração vieram de vários locais para contribuir à família de Lau. Seus irmãos e amigos usaram as redes sociais buscando ajuda das pessoas, que imediatamente concederam. No momento, a mulher e sua família estão morando provisoriamente em uma casa dentro do terreno da comunidade Nossa Senhora de Guadalupe, igreja a qual participam das celebrações e pastorais.

“Fico grata de ser acolhida pelo coordenador da comunidade e por toda igreja que se solidarizou comigo pelo ocorrido”, enalteceu Lau.

Lauriceia hoje se encontra mais feliz.  Ainda pretende contar a outras pessoas sobre seu testemunho de fé, por isso, que estará presente na 8ª Romaria da Bíblia da oaróquia São Luiz Gonzaga, a ser realizada dia 24 de setembro.

 

“Um milagre que Deus quer provar que existe”

Milagres são fenômenos interpretados por uma ação divina, um feito extraordinário que não se pode explicar por meio das leis da natureza. Com esse conceito, livros, artigos, dicionários, especialistas no assunto e dentre outros meios podem explicar o fenômeno religioso no mundo.

Assim como o caso de Lauriceia existem centenas de pessoas tocadas pelo chamado a prestar um testemunho que vem do coração. “Um milagre que Deus quer provar que existe”, com essas palavras a cuidadora de crianças especiais enfatiza sobre o acontecimento surpreendente na sua vida.

Um fato, semelhante ao de Lau, há 25 anos no interior do Paraná permitiu que as Escrituras Sagradas também não se destruíssem no meio das chamas de um incêndio. Para o padre Ilson José, que dar testemunho dessa prova de crença, a manifestação divina também é perceptível em várias zonas e épocas que o tempo constrói, pois Deus sempre apresenta seu amor diante de seus filhos.

“Pegou fogo na casa da minha tia, que era de madeira. Queimou tudo. E a única coisa que não queimou foi a Sagrada Escritura, que estava em cima do botijão de gás”, explica pe. Ilson José, vigário paroquial da São Luiz Gonzaga, sobre história ocorrida em sua família.

O Senhor vem ao mundo para que todos tenham vida, e tenha em abundância (cf Jo 10, 10), ele traz ainda consigo o amor que o próprio Deus tem sobre suas criaturas. No meio de tempestades, tragédias, transtornos e pertubações se têm pequenos gestos diferentes do comum, vistos por aqueles que crêem fielmente na sua palavra encarnada na humanidade.

“A mão de Deus está aí também. Um fenômeno que aconteceu e a ciência pode explicar, mas poderia ser fatal. Nisso, para provar que Deus é maior a palavra sempre permanece intacta”, diz pe Ilson José.

 

8ª Romaria da Bíblia da Paróquia São Luiz Gonzaga

A Paróquia São Luiz Gonzaga realiza a 8ª edição da Romaria da Bíblia, seguindo os padrões e assuntos que a CNBB estabelece todos os anos. Um ato de fé da comunidade, em que centenas de fiéis se reúnem para celebrar com apresentações, testemunhos, procissão pelas ruas e uma missa campal.

Para Tibéro Luiz Mendonça, a festa reavive a caminhada do povo de Deus, que somente é possível se houver diálogo aberto, íntimo e sincero com o criador. “Assim como na oração comunicamos com o Pai, ele nos responde de muitas formas, principalmente por meio da palavra. Encerramos o mês demonstrando nosso amor e respeito pela Sagrada Escritura, exaltamos como instrumento eficaz para o conhecimento e ensinamento da verdade”, explica o coordenador da liturgia paroquial.

O evento religioso que terá início às 16h na Praça Dominó, localizada na Avenida Guaporé, no bairro 4 de janeiro é esperado uma acolhida musical com diversos cânticos da Igreja Católica. Em seguida os fiéis são convidados a participar da procissão que seguirá à comunidade Nossa Senhora de Guadalupe, no bairro Aponiã. Local em que ocorrerá uma Santa Missa campal às 18h.

Apesar de haver uma igreja matriz, a paróquia com suas comunidades de base, pastorais, grupos, movimentos e serviços participam das reuniões e definições de locais de celebração e concentração. “Com devida antecedência os padres e toda comunidade se unem para definir uma pauta da romaria. Desde o local de partida, trajeto, encenações, parte litúrgica e ornamentação são trabalhados em conjunto”, esclarece Tibério, coordenador da liturgia paroquial.

O mês de Setembro é dedicado como ‘Mês da Bíblia’, a Comissão Episcopal Pastoral para Animação Bíblico Catequético ligado a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), trabalha como método de estudo e leitura orante a Primeira Carta São Paulo aos Tessalonicenses. E como tema proposto para todas as paróquias e comunidades eclesiais de base traz: ‘Para que N’Ele nossos povos tenham vida’ e lema: “Anunciar o Evangelho e doar a própria vida” (cf 1Ts 2,8).

 

Fonte: Jackson Vicente – paróquia São Luiz Gonzaga