Neste domingo (2), será celebrada em todo o Brasil a solenidade dos apóstolos São Pedro e São Paulo comemorado dia 29 de junho. Na ocasião, tradicionalmente é realizada a coleta do Óbolo de São Pedro, ajuda econômica que os fiéis oferecem ao papa em favor das obras de caridade e dos mais necessitados.

 

As doações realizadas nas paróquias anualmente pelos católicos são destinadas as obras sociais, a iniciativas humanitárias e de promoção social. Essa oferta é a expressão mais significativa da participação dos fiéis nas iniciativas de caridade da Igreja no mundo. Também é possível contribuir em qualquer momento, no site do Vaticano.

 

“É de suma importância que nossas comunidades abracem essa proposta da Igreja, toda ajuda, por menor que seja, é muito importante. O óbolo não é mais uma forma de fazer caridade, mas é a caridade que é feita na comunhão da Igreja apostólica, todos olham para os necessitados com o olhar de Pedro”, ressalta o secretário executivo das Campanhas da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), padre Luis Fernando da Silva.

 

De acordo com o Vaticano, o Santo Padre, enquanto Pastor da Igreja, se preocupa também com as necessidades materiais de dioceses pobres, institutos religiosos e fiéis em graves dificuldades (pobres, crianças, idosos, marginalizados, vítimas de guerras e desastres naturais; ajudas particulares a Bispos ou Dioceses em necessidade, educação católica, ajuda a refugiados e migrantes, etc.).

 

“O óbolo de São Pedro é uma expressão da comunhão da Igreja com o sucessor do apóstolo Pedro. Por meio da comunhão dos bens asseguramos ao Santo Padre o Papa Francisco fazer a caridade a muitas realidades carentes da Igreja”, diz padre Luis Fernando da Silva

 

A inspiração da prática do óbolo remonta à Igreja primitiva: “a base primeira para a manutenção da Sé Apostólica deve ser constituída pelas ofertas dadas espontaneamente pelos católicos de todo o mundo, e eventualmente também por outras pessoas de boa vontade. Isto corresponde à tradição que tem origem no Evangelho (Lc 10,7) e nos ensinamentos dos Apóstolos” (1 Cor 11,14) – Carta de João Paulo II ao cardeal Secretário de Estado, 20 de Novembro de 1982.

 

O hábito de apoiar materialmente aqueles que têm a missão de ajudar os que têm a missão de anunciar o Evangelho e cuidar dos necessitados nasce com o próprio cristianismo. Nos finais do século VIII, os anglosaxões decidiram enviar de maneira estável uma contribuição anual ao Santo Padre, o chamado “Denarius Sancti Petri” (Esmola a São Pedro). Então, em 5 de Agosto de 1871, o Papa Pio IX reconheceu oficialmente o Óbolo de São Pedro com a encíclica “Saepe Venerabilis”.

 

A partir de 2016, a Santa Sé decidiu tornar o Óbolo de São Pedro mais acessível e criou o site e canais nas redes sociais dedicados a esta milenar tradição. No Twitter, o Óbolo de São Pedro está presente em três línguas: italiano, inglês e espanhol. No Instagram é único.

 
Com informações do Vaticano e da Rádio Vaticano