Porto Velho, quinta, 23 de maio de 2024

09/05/2024 . Palavra do Bispo

Solenidade da Ascenção do Senhor e Dia das Mães

“O olhar materno é o caminho para renascer e crescer”

(Papa Francisco).

 

Queridos irmãos e irmãs,

Graça e Paz!

 

Neste 7º Domingo, 40 dias após a Páscoa, a Igreja celebra no mundo inteiro a Solenidade da Ascenção do Senhor e, no Brasil, celebra-se no segundo Domingo do mês de maio, o Dia das Mães.

A Ascensão significa que Jesus completou sua missão aqui na terra, como rezamos na profissão de fé: “subiu aos céus e está sentado à direita de Deus Pai, donde há de vir a julgar os vivos e os mortos”. Jesus veio do Pai para nos revelar seu rosto amoroso e misericordioso e, tendo cumprido sua missão, volta para o Pai. É isto que nos narra a primeira leitura tirada do livro dos Atos dos Apóstolos (1,1-11).

O evangelista conta que, durante 40 dias o Ressuscitado apareceu aos Apóstolos falando-lhes do Reino de Deus e prometendo o envio do Espírito Santo. Depois, subiu aos céus. No entanto, os apóstolos continuaram lá, parados, olhando para as nuvens, até que anjos lhes perguntam: “Homens da Galileia, por que ficais aqui, parados, olhando para o céu? Esse Jesus que vos foi levado para o céu, virá do mesmo modo como o vistes partir para o céu”.

Jesus volta para o Pai fazendo-se, Ele próprio, caminho para todos nós: “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Ninguém vai ao Pai, senão por mim” (Jo 14,6). Por isso, podemos afirmar que celebrar a Ascensão do Senhor é celebrar nossa vitória, além de nos preparar para vivermos a Festa de Pentecostes.

No entanto, o que não podemos esquecer é que o caminho que leva de volta à glória do Pai passa pela cruz. Dessa forma, celebrar a ascensão compromete a nossa fé como discípulos missionários do Senhor, pois, com a Ascensão, termina a missão de Jesus e começa a missão da Igreja, como nos fala o Evangelho: “Ide pelo mundo inteiro e anunciai o Evangelho a toda criatura! Quem crer e for batizado será salvo. Quem não crer será condenado” (Mt 28,16-20).

Por fim, irmãos e irmãs, não podemos deixar de mencionar o Dia das Mães que hoje celebramos. O mês de maio que a Igreja no Brasil dedica à Mãe de Deus, ajuda-nos a melhor celebrar a festa do Dia das Mães. A Mãe de Deus nos ensina a guardar, meditar, aceitar e superar os acontecimentos, como fazem as mães mundo afora, ajudando seus filhos e filhas a não se deixar paralisar nem perder a esperança diante das cruzes da vida.

Como nos diz o Papa Franscisco: “É isto que fazem as mães: sabem superar obstáculos e conflitos, sabem infundir a paz. E o mundo tem necessidade de pessoas assim, capazes de tecer fios de comunhão, que contrastem os numerosos fios de arame farpado das divisões.”. As mães, como todas as mulheres, olham o mundo não para o explorar, mas para que tenha vida. E enquanto as mães dão a vida e as mulheres guardam o mundo, o apelo do Papa é para que todos se empenhem em promover as mães e proteger as mulheres.

Irmãos e irmãs, com as palavras do Apóstolo Paulo, peçamos a Deus por toda a Igreja e, em especial, por todas as mães, para que: “O Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai a quem pertence a glória, nos dê um espírito de sabedoria que no-lo revele e faça verdadeiramente conhecer. Que ele abra o nosso coração à sua luz, para que saibamos qual a esperança que o seu chamamento nos dá, qual a riqueza da glória que está na nossa herança com os santos, e que imenso poder ele exerceu em favor de nós que cremos, de acordo com a sua ação e força onipotente” (Ef 1,17-23). Assim seja, Amém!

Viva o Senhor Jesus Cristo, nossa Esperança!

Viva as mães que revelam o rosto amoroso e misericordioso de Deus!

 

 

Com minha bênção,

Dom Roque Paloschi

Bispo da Igreja Particular de Porto Velho-RO

Mitra Arquidiocesana

Av. Carlos Gomes, 964 - Centro Cep: 76.801-147 - Porto Velho (RO)

Contatos

(69) 3221-2270 Telefone e WhatsApp coord.pastoral@arquidiocesedeportovelho.org.com

Funcionamento

Segunda-feira a Sexta-feira: 8h às 12h - 14h às 18h Sábado de 8h às 12h